Prefeito Divaldo Lara anuncia reversão para a bandeira laranja e maior rigidez na fiscalização

Por volta das 17h desta segunda-feira, em coletiva de imprensa on line, o prefeito de Bagé, Divaldo Lara, anunciou que o recurso interposto pela região de abrangência do município ao estado foi aceito e, assim, Bagé permanece em bandeira laranja na classificação de risco para contaminação de Coronavírus.

No final de semana, as cidades da região decidiram recorrer da bandeira vermelha, indicada pelo estado, que determina a situação de cada região do Rio Grande do Sul por meio de bandeiras que indicam o risco de contaminação por Covid-19, considerando as estatísticas de cada local, como número de pessoas infectadas, leitos disponíveis e óbitos. A cada sexta-feira, a análise é divulgada e, no dia 24, pela primeira vez, a região onde Bagé está situada foi considerada bandeira vermelha. Com a aceitação do recurso, a região de abrangência de Bagé continua laranja.

No comunicado à imprensa, o chefe do executivo afirmou que o município acreditava na regressão por ser a região com melhores indicadores do estado, em especial Bagé, frente ao seu tamanho e forma que iniciou a contaminação.

Divaldo também ressaltou que o município irá aumentar a fiscalização e punições. “Vamos punir as pessoas que estão fazendo um desserviço ao município promovendo festas, encontros clandestinos e sem a mínima segurança. Estamos solicitando apoio da Polícia Rodoviária Federal e Estadual para isso. Vamos avaliar o desempenho desta semana, o comportamento da população, número de contaminados e leitos, além de promover mais testes. A cidade não luta apenas contra o vírus e sim contra aqueles que são aliados do vírus, que por irresponsabilidade acabam promovendo a disseminação em Bagé, levando o município à situação de dificuldade novamente”, pontuou.

O prefeito indicou, ainda, que não mudando este cenário, existe a possibilidade de avaliar medidas mais duras, até mesmo como um novo fechamento geral, se necessário. “É uma semana decisiva, pois há a real possibilidade de bandeira vermelha na próxima semana”, finalizou.

Pedido de conscientização

No início da noite, em live transmitida por uma rede social, o prefeito fez um apelo à comunidade. “Trabalhamos há mais de 120 dias para manter a situação sob controle. O governo de Bagé não cede a pressões, não trabalhamos com achismos e nem radicalismo, e sim com indicadores. Nossa prioridade é e sempre foi a saúde”, frisou.

Em seu pronunciamento, Divaldo reiterou que a fiscalização será mais dura, com apoio além da Vigilância Sanitária, Brigada Militar e Polícia Civil, das Polícias Rodoviária Federal e Estadual.

“Queremos nossa cidade trabalhando e saudável. Conclamo a população a fazer a sua parte, sob risco de ser necessário fechar tudo novamente. Não podemos mais lutar contra o vírus e os aliados do vírus. Só o governo sozinho não consegue vencer essa luta”, destacou.

Indicadores contestados no recurso

Número de hospitalizações, variação do número de confirmados em leitos clínicos e leitos de UTI, estágio de evolução na região, projeção de óbitos e medidas tomadas desde o início da pandemia, entre elas decretos, lockdown de 26 dias, vacinação H1N1, barreiras sanitárias, mapeamento de estado gripal, ampla testagem, toque de recolher, instalação de Hospital de Campanha e criação do selo ambiente limpo e seguro.