Prefeitos da região da campanha  se unem para ajustar ações na busca do retorno da bandeira amarela

Foto: Paulo Batista

Uma das principais armas no combate ao Coronavírus é a união. Dentro deste conceito, de forma inédita, os prefeitos da região de abrangência da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (7ª CRS) reuniram-se na tarde desta sexta-feira (19), no Salão Nobre da Prefeitura de Bagé, em um encontro que teve como pauta principal o combate a Covid-19. A reunião, que foi uma iniciativa do prefeito de Bagé, Divaldo Lara, foi transmitida ao vivo pelas redes sociais e contou, ainda, com a presença de autoridades de saúde ligadas às cidades representadas.

O objetivo principal foi debater a situação atual e trocar ideias sobre as soluções relacionadas ao problema comum a todas as cidades, com foco na busca do retorno da bandeira amarela de risco de contaminação, evitando as medidas mais severas como o fechamento do comércio, em frente ao controle do vírus na região.

Participaram os prefeitos de Gerhard Martens (Aceguá), Renato Machado (Hulha Negra), Mário Augusto Freire (Dom Pedrito), Sávio Prestes (Lavras do Sul) e Adriano dos Santos (Candiota), que participou de forma remota por estar em isolamento. O coordenador da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (7ª CRS), Ricardo Nechi e o coordenador do Centro de Operações de Emergência (COE) e do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus em Bagé, Mário Mena Kalil, também estavam presentes.

Da reunião, saíram importantes providências. “Estaremos encaminhando na segunda-feira um pedido de videoconferência para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, além de solicitar recursos retidos dos hospitais que ainda não foram repassados, mais vacinas e outras pautas com o objetivo de pleitear a troca de bandeira ao governo”, informou o prefeito de Bagé. “Fiquem em casa, usem as suas máscaras, se protejam e só assim teremos a grata satisfação de comemorarmos o fim dessa guerra, preservando as vidas”, orientou.

O prefeito de Bagé destacou, ainda, que com a união dos líderes dos municípios é possível  alcançar melhores resultados. “Debatemos experiências adotadas que deram certo no combate ao Coronavírus e novas atitudes a serem praticadas por todos”, falou Divaldo. “É preciso registrar o trabalho e empenho destes gestores públicos em um justo e necessário reconhecimento. É muito fácil criticar, estamos acostumados com as críticas e dificuldades, mas o trabalho da região da campanha, a força e a coragem que nossos gestores demonstraram neste momento são, sem dúvida, dignas de ser aplaudido”, destacou.

Mena parabenizou os prefeitos presentes. “Aqui não tem bandeira partidária e sim do povo, da saúde. Estamos juntos tomando atitudes preventivas e esta sempre foi nossa grande diferença: prevenção e atitudes corretas, no momento certo, preservando a saúde da população. Aqui temos prefeitos sérios, competentes e tenho muito orgulho de fazer parte deste grupo no combate a este vírus. Nós não estamos sozinhos, por isso precisamos fazer com que nossa região não piore de bandeira, para que não seja necessário fechar tudo novamente. Temos um grupo de prefeitos sérios agindo em sintonia para tomar atitudes coerentes e corretas. Os Comitês de cada município precisam se comunicar, além da harmonia na conduta de decretos e ações. Esses encontros e lives são importantes para a informação das pessoas e para acalmar a população, evitando o pânico. Os prefeitos e secretários só conseguem que a população se comprometa quando transparecem verdade”, analisou.

Mário Augusto ressaltou o vínculo forte entre as cidades e a necessidade da tomada de decisões em conjunto. “Tivemos ação muito rápida e pronta na criação do Centro de Operações para monitorar tudo que está acontecendo. O caminho é voltar para a bandeira amarela porque os gestores responsáveis estão trabalhando muito para que todos possam entender que temos duas armas contra o coronavírus: a informação e conscientização de todos”, destacou.

Adriano dos Santos, de Candiota, lembrou que o cuidado é redobrado em função da cidade receber muitas pessoas de fora para o trabalho. “Já somos uma região isolada pela distância física de outros municípios mas vivemos muito os problemas uns dos outro. Esta é uma característica nossa que nos ajuda muito”, ponderou.

Sávio Prestes, de Lavras do Sul,  comentou que a situação da cidade não é mais grave porque foi feito exatamente o que foi feito em Bagé pelo prefeito Divaldo e sua equipe. “Identificamos as duas linhas de contágio e tomamos as medidas necessárias, assim como Bagé, que de forma extraordinária reverteu um quadro que poderia ser muito grave. Temos um controle absoluto das duas linhas de contágio. Para criticar o gestor público tem uma fila de gente, muitos que não tiveram uma atitude de apoio e fazem o que bem entendem. É preciso que todos façam sua parte. Se tudo correr como estamos prevendo, em cerca de 16 dias não teremos nenhum caso mais em nossa cidade”, acredita.

Renato Machado, prefeito de Hulha Negra,  lembrou que assim que foi convidado para o encontro aceitou prontamente. “É muito importante este debate. Com certeza esta reunião vai chegar nos ouvidos de quem tem que nos dar a mão, auxiliar de verdade. Vamos sair dessa se Deus quiser e juntos somos mais fortes”, comentou.

Martens relembrou a situação diferenciada do município, por Aceguá ser fronteira seca. “É uma reunião muito importante para trabalharmos na mesma linha de pensamento. Há muita resistência entre as pessoas mais idosas, mas estamos vencendo. Hoje cerca de 12% da nossa população já foi testada por amostragem. Vamos nos cuidar, nos prevenir e trabalhar em conjunto”, sugeriu.

Divaldo destacou que se não está acontecendo um grande número de mortes na região, é graças às equipes de saúde e ao trabalho dos gestores. “Não estamos escondendo dados. Não há como ocultar mortes, não existe esta possibilidade para nenhum prefeito. O que existe é gente querendo comemorar a tragédia e culpar os prefeitos. Nós lutamos pela vida e qualquer vida que se perder, a culpa e a responsabilidade é da cidade como um todo, de cada cidadão, principalmente de quem não faz sua parte. Precisamos combater este negativismo. Nós estamos defendendo a população e lutando muito bem em relação a isso”, frisou.

O coordenador da 7ª CRS ressaltou que admira a coragem de todos os líderes presentes na reunião. “Admiro vocês em tomar decisões duríssimas para proteger a população. E em nossa região todos tiveram essa coragem e discernimento em tomar a atitude correta. Quero fazer um elogio ao trabalho dos secretários de saúde, que também foram essenciais. Nós aqui em Bagé fomos ‘premiados’ em sermos a primeira cidade do interior em enfrentar esse surto terrível, que começou numa linha de contágio dentro da área da saúde”, ponderou.

Fotos: Paulo Batista