Prefeitura recebe oficialmente prédio do Clube do Comercial

Foto: Paulo Batista

Um ato histórico ocorreu na manhã desta quarta-feira (10), na cidade de Bagé, de acordo com o prefeito Divaldo Lara. Foi entregue oficialmente para o município o prédio ocupado pelo Clube Comercial desde 1937. Agora, o local faz parte do patrimônio da Prefeitura.

No ano passado, o Governo Municipal mostrou interesse em adquirir o prédio do Clube Comercial, situado na avenida Sete de Setembro, após dissolução que ocorreu no meio do ano de 2019, por meio de assembleia chamada por seus associados. Na oportunidade, ficou definida a avaliação de R$ 7 milhões pelo imóvel. Depois de todos os trâmites legais realizados, chegou a hora da entrega oficial do local. Depois de todos os trâmites legais realizados em Sessão Extraordinária, realizada em março, na Câmara de Vereadores, a pauta foi aprovada pela grande maioria dos vereadores.

No evento, Divaldo falou sobre a aquisição. “Foi um dos melhores negócios já realizados na história da Prefeitura, além de que a finalidade do prédio seguirá sendo a mesma e as famílias poderão seguir utilizando o espaço como já ocorre há várias gerações”, destacou o chefe do Executivo, informando que toda a negociação foi aprovada pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O prefeito ainda explicou que o valor para a compra do prédio foi conquistado através do pré-sal e que o recursos era específico para aquisição de patrimônio, não podendo investir em outras áreas. Outro anúncio realizado por Divaldo é que a próxima fase será a constituição de uma comissão que irá gerir a comercialização dos espaços internos, caso tenham interessados para montar um restaurante ou cafeteria no local, além do aluguel para festas e eventos.

A secretária de Cultura e Turismo, Anacarla Oliveira, comemorou a aquisição. “Será mais uma estrutura que poderemos utilizar para os mais variados fins, mas principalmente para a cultura, pois o local atende requisitos para apresentações musicais, espetáculos, exposições, dentre muitos outras, e não só da cultura, mas também de outras áreas”.

O ex-procurador do município, Heitor Gularte, que conduziu as etapas jurídicas, também falou. “Foi um negócio realizado com toda transparência necessária que agrega mais um equipamento para a cultura e para o turismo da cidade”, considerou.

O ato, que foi transmitido por live em rede social, também contou com a presença e depoimento das seguintes autoridades: presidente do Núcleo de Engenheiros e Arquitetos de Bagé (Neab), Antônio Arla; presidente da Associação Pampa Gaúcho de Turismo (Apatur), Clori Peruzzo; presidente do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental do Município de Bagé (Compreb), Margo Menezes; e o presidente do Clube Comercial, Roberto Bandeira.

Entenda
O Clube Comercial possui dívidas tributárias e com o próprio município de Bagé, totalizando, aproximadamente, R$ 2 milhões. Estes valores serão pagos em uma figura jurídica chamada de assunção de débito, na qual a administração pública passa a ser a devedora das pendências, podendo parcelar em várias prestações e abatendo o valor que o clube deve para o município. Os outros R$ 5 milhões da negociação serão abatidos dos valores utilizados em contrapartida em emendas parlamentares, sendo investidos no próprio município nas áreas da saúde e educação. Ou seja, o valor não vai para o clube e sim é revertido para em benefício para a própria comunidade pelos próximos cinco anos. Em Sessão Extraordinária realizada em março, na Câmara de Vereadores, a pauta foi aprovada pela grande maioria dos vereadores.