Inquérito populacional da Covid-19 em Bagé, realizado pela Unipampa, apresenta primeiros resultados

Foto: Giovana Pereira

Nesta terça-feira (19), a Universidade Federal do Pampa (Unipampa) divulgou o relatório dos resultados parciais da primeira rodada de coleta de dados do inquérito populacional da Covid-19 em Bagé. A pesquisa foi realizada entre os dias oito e nove de maio. Para cada caso confirmado, há outros dez casos não confirmados de pessoas que tiveram Coronavírus em Bagé. Essa é a estimativa obtida pela pesquisa inédita da Covid-19 realizada pela Universidade Federal do Pampa (Unipampa), em parceria com a Prefeitura Municipal e a Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

“O estudo reflete o número de pessoas que apresentaram anticorpos para o vírus, o que indica que houve exposição sem, necessariamente, ter ocorrido sinais clínicos”, explica uma das docentes da Unipampa envolvidas na pesquisa, Débora Pellegrini. O documento ressalta que “como dados preliminares, pede-se cautela na interpretação, visto que a digitação e revisão dos dados ainda está em andamento. Entretanto, espera-se que esses resultados parciais possam auxiliar a gestão de saúde do município a tomar as melhores decisões no combate à pandemia”.

De acordo com o estudo, foram entrevistados e testados 394 indivíduos e, destes, apenas um apresentou resultado positivo. O relatório indica uma prevalência de contaminação de 0,3%, o que quer dizer que para o total de 121 mil habitantes de Bagé, há uma estimativa de que cerca de  363 indivíduos já tenham sido infectados na cidade, ou seja, algo em torno de dez vezes mais do que os números oficiais. A investigação também citou que, com relação à sintomatologia, a mais presente foi a tosse, relatada por um em cada dez entrevistados. Além disso, pouco mais de 5% dos entrevistados relatou ter tido dor de garganta, palpitação ou diarreia, cerca 3,5% relatou ter tido dificuldade de respirar ou ter sentido menos cheiro, enquanto menos de 2% dos participantes disse ter tido febre ou vômitos nas duas semanas anteriores à entrevista.

No que diz respeito às medidas de distanciamento social impostas pelas autoridades, quase 60% dos entrevistados relatou estar conseguindo cumprir o distanciamento social imposto, sendo que pouco menos de 1/3 deles afirmou estar praticamente isolado, isto é, quase que sem contato com outras pessoas. Por outro lado, cerca de um em cada quatro entrevistados relatou sair todos os dias. Contudo, cabe frisar que entre os que saem de casa todos os dias, a ampla maioria é formada por indivíduos que trabalham atualmente, ou seja, indivíduos que precisam sair de casa para exercer suas funções laborais. Entre aqueles que afirmaram estar praticamente isolados, a maioria é formada por indivíduos que não estão trabalhando atualmente. Por fim, mais de 90% dos entrevistados relataram que apenas familiares ou parentes próximos têm entrado em casa nesses últimos dias.

O Prefeito de Bagé, Divaldo Lara, comenta a pesquisa. “É de extrema importância este trabalho realizado, pela Unipampa, para que possamos mensurar aspectos importantes relativos ao vírus em Bagé e pensar em novas estratégias futuras”, destaca.

Foto: Giovana Pereira