Prefeito Divaldo Lara decreta medidas rígidas no combate às aglomerações

Foto: Paulo Batista

Em live realizada em uma rede social na manhã desta segunda-feira (18), o prefeito Divaldo Lara, informou que, devido ao grande número de aglomerações registradas no final de semana em Bagé, o município está tomando medidas rígidas a fim de combater grandes reuniões de pessoas em locais públicos da cidade.

No dia 19 de março, Bagé teve a confirmação do primeiro caso positivo de Coronavírus. Como a pessoa era oriunda da área da saúde e teve contato com dezenas de pessoas até a confirmação, foi necessário adotar uma série de medidas para evitar um grande contágio entre os bageenses. O número de pessoas infectadas passou de 30, porém, com o tempo, todas tiveram diagnóstico de cura, o que permitiu uma série de flexibilizações no comércio e em outras atividades, já que o momento mais crítico estava superado e foram atendidos uma série de pedidos para o retorno de atividades.

Entretanto, o centro de Bagé e alguns estabelecimentos comerciais que vendem bebidas alcoólicas e as pessoas consomem nas calçadas estiveram lotados, principalmente no domingo (17), o que preocupou o Governo Municipal, visto que a cidade de Bagé ainda carece de alguns cuidados especiais para que novos casos não sejam computados.

Para evitar que Bagé retorne a um patamar preocupante, visto os acontecimentos recentes, Divaldo e o secretário de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, Mário Mena Kalil, decidiram decretar novas regras.

Empresas de venda 24h de bebidas alcoólicas estão interditadas pelos próximos 10 dias, até que um novo termo de compromisso seja assinado pelos empresários devido ao comportamento dos clientes. O consumo destas bebidas em via pública também está vedada. Lancherias, pizzarias, restaurantes e bares poderão permanecer abertos com atendimento aos clientes na parte interna dos estabelecimentos somente até as 22h. Com tele-entrega os comércios podem funcionar até a meia-noite.

O prefeito também destacou que retornará o recolhimento noturno obrigatório a partir das 22h pela cidade, para que não hajam mais aglomerações em praças, parques ou qualquer outra área pública do município.

Divaldo também enfatizou que é crime promover festas e reuniões com aglomeração de pessoas e que a Polícia Civil, a Brigada Militar e a Vigilância em Saúde autuarão os responsáveis em flagrante e efetuar a prisão daqueles que estiverem descumprindo esta normal.

“A maioria da população bageense é educada e responsável, mas uma pequena parcela da população ainda não entendeu que o Brasil e o mundo inteiro passam por uma fase de crise na saúde pública e que devemos seguir uma série de normas para o bem de todos, principalmente aqueles que fazem parte do grupo de risco”, falou o prefeito.

Outro segmento citado pelo prefeito foi o de igrejas. Segundo o chefe do executivo, houve registro de aglomerações em alguns locais e que a Vigilância fechará e interditará igrejas que tiverem com número de fiéis acima do estabelecido no interior dos prédios, podendo acarretar no fechamento das demais, independente de credo.

Mena também falou sobre o tema. “A qualquer momento um novo foco pode aparecer em Bagé. Estamos fazendo nossa parte e tomando as medidas no momento certo, mas quando a conscientização das recua, temos que retomar as medidas anteriores. Sempre adotamos medidas educativos, mas o momento exige uma postura mais firme”, explicou.