Secult assinala Dia Nacional do Turismo

Foto: Rodrigo Sarasol

A Lei 12.625, de maio de 2012, institui o dia 8 de maio como o Dia Nacional do Turismo. A data escolhida para a comemoração, que foi incluída no calendário oficial brasileiro, faz referência ao dia 8 de maio de 1916, ocasião em que foi solicitado, pelo Estado do Paraná, que as terras junto às Cataratas do Iguaçu fossem desapropriadas e declaradas de utilidade pública para a criação de um parque. A demanda foi acatada no dia 28 de julho de 1916, com o Decreto Estadual nº 653/1916.

Hoje, em Bagé, no Pampa Gaúcho, em meio à pandemia de Coronavírus, com as visitações proibidas e muitos pontos turísticos fechados e restrições de viagens, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) busca alternativas como estratégia de retomada de desenvolvimento e geração de emprego e renda, no difícil panorama econômico desenhado com a crise. Segundo a secretária da pasta, Anacarla Oliveira, os estudos que temos, até o momento, mostram que o mundo e a forma de viajar irão mudar profundamente. Após o confinamento, as pessoas estarão ávidas para viajar, para viver experiências autênticas com conteúdo emocional e reconexão com sua cultura e história, em destinos novos, fora dos roteiros de “moda”, que sejam o oposto das grandes aglomerações e viagens de massa que víamos muito antes do mundo mudar. As previsões é que este novo turista evitará grandes empreendimentos e, em um primeiro momento, evitará também viagens aéreas e viagens muito longas, procurando espaços mais personalizados e seguros. Essas serão as questões chave: espaço, ar livre, segurança e higiene.

Em texto formatado em alusão à data, a Secult destaca que quando se analisa esta tendência de mudança no comportamento do viajante, é muito claro enxergar que Bagé e a Região do Pampa estarão em vantagem. “Pois dispomos de tudo isso que o viajante do futuro estará em busca: nosso Turismo Rural, enoturismo, geoturismo, turismo cultural. Nossos amplos espaços rurais e naturais, com pequenos empreendimentos contrários a aglomerações, e que oferecem exatamente as experiências que os estudos desenham”, ressalta o texto.

Ações
A Secult, no âmbito municipal, trabalha com ações possíveis dentro das restrições atuais, como a campanha “Bagé espera por ti” (instagram @bageesperaporti) que tem o objetivo de aumentar a autoestima da comunidade bageense, ao mesmo tempo que busca manter a relevância de Bagé como destino turístico, instigando as pessoas que ainda não conhecem e as que sonham em revisitar nossa cidade. Um trabalho constante de conscientização e auxílio para empreendimentos turísticos, que se formaliza no Cadastur – Cadastro dos Empreendimentos Turísticos do Ministério do Turismo, resultou em um crescimento exponencial de empresas cadastradas, refletindo no aumento de nossa nota dentro do Mapa do Turismo Brasileiro do Programa de Regionalização do Turismo. Isso significa mais acesso a recursos e crédito dentro dos programas do Governo Federais e bancos de fomento.
Outra ação importante é requalificação e reconstrução da Cidade Cenográfica de Santa Fé. Em um primeiro momento, a construção do Centro de Eventos Terra Cambará com recurso de R$ 250 mil de emenda parlamentar e investimento de R$ 80 mil  da Prefeitura Municipal, com o projeto já aprovado e em fase de licitação; e, também, a captação de mais R$ 250 mil em emenda parlamentar que será revertida à reconstrução de mais quatro prédios de Santa Fé, em fase de elaboração do projeto arquitetônico.

Os planos e projetos, após reabertura, são muitos: o Projeto Turismo na Escola, em parceria com a Fábrica de Gaiteiros, voltado à educação patrimonial e educação para o Turismo; resgate das viagens ferroviárias com o Trem do Pampa; realocação e construção do novo Centro de Atendimento ao Turista com recurso da Consulta Popular 2019; criação do Café do Bosque e Espaço Histórico do Vinho da Campanha, retomada dos grandes eventos, como o Dança Bagé, que já tem data de sua 18ª edição, nos dias 6 a 8 de novembro.

“Com esse panorama desafiador seguimos trabalhando, planejando e pensando, junto com nossos incríveis parceiros, aos quais temos uma imensa gratidão, com os quais dividimos uma visão de futuro em comum: mais do que nunca acreditamos no Turismo como vetor de desenvolvimento regional, e o ponto chave nessa grande virada de mundo esperada pós pandemia”, ressalta Anacarla.