Prefeitura inicia hoje a aplicação dos testes rápidos para detectar a Covid-19

Foto : Patrícia Leal

Nesta sexta-feira (08), a Prefeitura de Bagé, por meio da Secretara de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, disponibilizou 20 equipes da pasta para o início da testagem rápida nos moradores de Bagé. Os profissionais vão trabalhar em quatro ciclo de amostragem, sorteando em cada setor 10 casas e, nestas, 400 pessoas devem ser testadas. Após 15 dias, mais 400 pessoas passarão pelo teste, até chegar no último ciclo de coleta de dados e testagem da população. Os resultados são obtidos em apenas 15 minutos.

De acordo com o secretário de Saúde, Mário Mena Kalil, ao total, serão disponibilizados 3 200 testes para o trabalho de coleta de dados e testagem em nosso município. “Essa pesquisa que iniciamos hoje, foi elaborada pela Unipampa, com questionário específico para avaliarmos a prevalência da doença na nossa cidade. É uma atitude muito séria e responsável para que nós tenhamos condições, junto ao prefeito, de elaborarmos novas medidas para flexibilizar,  ou não, o comércio e tantas outras ações que devemos ainda continuar fazendo”, explicou o gestor, destacando ainda que “Bagé é o único município que está realizando os testes rápidos sem custo aos moradores, demonstrando  zelo e respeito por cada cidadão”.

A aposentada Vera Lúcia Pacheco Rodrigues, 70 anos, foi uma das pessoas que recebeu uma das equipes nesta sexta-feira e realizou o teste que resultou em negativo. “Fiquei feliz que o resultado deu negativo, pois eu estava tomando as medidas necessárias.  Agora estou bem tranquila e vou continuar no isolamento e com a garantia que não estou com a doença”, disse.

Segundo o Prefeito municipal, Divaldo Lara, o estudo com testes rápidos na população de Bagé é extremamente importante, principalmente, para conhecer o estado epidemiológico do município, como está a saúde da população e como está a contaminação da população como um todo. “Isso vai orientar o município a identificar a necessidade de adotar medidas mais intensas de isolamento social ou medidas que podem ser afrouxadas. Também vamos saber se temos algum distrito com mais ou menos infecção para que tenham medidas mais intensas de prevenção”, informou. O chefe do executivo ainda disse que após a análise da primeira leva de resultados, será definido um cronograma para a segunda e a terceira fase do levantamento. “Assim, será possível monitorar o comportamento da infecção após o período de reabertura do comércio”, afirmou Divaldo.

A pesquisa vai permitir ainda que a administração municipal saiba como está sendo realizado o isolamento social, a utilização de máscaras, como está a saúde mental das pessoas em quarentena, entre outras informações.