Governo aguarda a manifestação da Caixa sobre finalização da obra dos residenciais da zona norte

Na manhã desta terça-feira (05), o Prefeito de Bagé, Divaldo Lara, informou que o cronograma referente às 600 moradias populares do programa Minha Casa Minha Vida, localizado na avenida Espanha, está dentro do esperado. Divaldo relatou ainda que, através de informações fornecidas pelo agente financeiro, Caixa Econômica Federal (CEF), não recebeu por parte da empresa responsável pela obra a conclusão dos serviços externos dos residenciais da zona norte.

Os documentos recebidos através da CEF dizem que a empresa Dallé Construções e Incorporações Ltda não concluiu todos os serviços necessários e pertinentes às obras externas dos empreendimentos denominados Nossa Senhora Auxiliadora e Sagrada Família. Para que aconteça a vistoria final dos referidos residenciais, está sendo aguardada a conclusão do acesso às edificações. Não havendo manifestação por parte da responsável, a Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra) assumiu a ação de finalizar a estrutura de acesso ao local com drenagem, calçamento e pavimentação.

O gestor municipal comentou que todas as ações sempre foram feitas com a maior transparência. “As pessoas que vão receber as moradias são aquelas que realmente precisam. Tanto é verdade que mais dezenas de sorteados que estavam com documentação fora das normas foram substituídos imediatamente por integrantes da lista de espera,” salientou o prefeito.

Assim que o trabalho for concluído o serviço, a construtora fará a vistoria final com os contemplados que ainda não efetuaram esta fase. Esta é uma fase imprescindível para a continuidade legal. Além disso, ainda é necessário que parte das matrículas sejam terminadas por parte do cartório para a CEF elaborar os contratos para o Ministério das Cidades autorizar a data da entrega.

“Tenho tanta vontade de entregar quanto os moradores tem para receber as moradias e, finalmente, realizarem o sonho da casa própria. A Prefeitura cumpriu com todas as obrigações até aqui e, agora, assumiu uma ação que era da competência da empresa para que não demore ainda mais”, declarou Divaldo.