Prefeito propõe soluções para o Hospital Universitário

Representantes do Legislativo e da saúde, entre outras lideranças do município estiveram reunidos nesta segunda-feira (13), com o prefeito municipal Divaldo Lara e com o secretário de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, Mário Mena Kalil, expondo a situação do Hospital Universitário (HU) em cem dias, período em que assumiu a nova administração.

O diretor técnico do HU, Henry Ritta, argumento que estando a UTI fechada, o gasto mensal gerado é de R$ 80 mil, somente com a folha dos funcionários. A instituição ainda tem uma dívida de mais R$ 450 mil em oxigênio, o que impede a internação de mais pacientes, ocasionando a diminuição das cotas de repasse financeiro do governo estadual.
Lorena Pereira, fisioterapeuta da UTI, destacou a importância do funcionamento da unidade, além dos leitos e bloco cirúrgico estarem totalmente equipados. “É preciso entender que hoje Bagé conta com apenas 16 leitos de UTI, não só Bagé, mas toda a região. Questionamos para onde estão indo essas pessoas, o que está acontecendo com elas?”, destaca.
O secretário Mário Mena reforçou que o município tem interesse em estabelecer uma parceria com o HU, principalmente para a disponibilização de mais exames para a população. Ele reafirmou a importância do local e defendeu que a população não pode mais sofrer com a pequena oferta de serviços, uma vez que o hospital atende apenas metade de sua capacidade.
Por sua vez, o prefeito Divaldo Lara propôs duas ações concretas para que entidade retome todas as atividades em um curto período. São elas:
• Projeto de Lei de perdão da dívida do hospital de R$ 500 mil com o Daeb;
• Convênio entre o município e as cidades da região para a realização de 200 tomografias, todas com a intermediação da prefeitura.
O prefeito também incluiu entre as ações a realização de um estudo para socializar a cobrança da tarifa de água do hospital assim que houver a troca da cobrança, deixan-do de ser taxa.
“Este é um novo conceito, uma nova visão de administração, cuja proposta é aplicar melhor os recursos” reforça Divaldo Lara.
A prefeitura vai antecipar o crédito de R$ 100 mil para a substituição de uma ampola do tomógrafo que está estragado há algum tempo. Com esse conserto será possível a compra dos exames de tomografia para a rede municipal e para a região.