Janeiro Branco encerra com palestras de reflexão sobre a saúde mental

Motivada pela campanha nacional Janeiro Branco, a prefeitura de Bagé desenvolveu durante todo o primeiro mês de 2017 uma série de ações voltadas à promoção à saúde mental. A campanha foi encerrada na tarde desta terça-feira (31), com as palestras do médico psiquiatra Ivan Bulcão, da psicóloga Dilce Helena dos Santos e da coordenadora da saúde mental, Carla Finger, que abordaram a importância de refletir sobre a saúde mental, condição emocional, qualidade de vida e dos relacionamentos.
O objetivo foi discutir as situações em que há comprometimento do bem-estar integral do indivíduo. Com várias frases que apontam para situações cotidianas, a campanha alcançou seu principal objetivo de despertar a sociedade para a saúde mental.
Conforme o secretário da saúde, Mário Mena Kalil, a dignidade está sendo devolvida para a população através do atendimento decente e da dedicação de toda a equipe. Ele ainda fez referência ao prefeito em relação à afinação deste com as questões da saúde, pois todas as promessas estão sendo honradas à risca, o que facilita o andamento de ações como a desenvolvida nesta terça-feira. “É uma satisfação poder estar participando do primeiro evento da saúde. Esta é a nossa missão, este é o nosso objetivo, fazer com que a população tenha uma vida com mais qualidade, propósito e principalmente bem-estar”, destacou.
O prefeito Divaldo Lara falou da importância da iniciativa que alerta para um problema tão grave para a nossa população e parabenizou a equipe pela dedicação. “Com trabalho, com planejamento, com pessoas qualificadas, a gente consegue obter resultados surpreendentes. Que possamos reconstruir a nossa cidade, com belíssimas iniciativas como essa e que possamos a cada dia confirmar a expectativa que todos os bageenses depositam em nosso trabalho. O nosso único propósito é fazer um governo voltado para as pessoas e assim faremos até o último dia dessa gestão”, frisou.
Segundo os dados da Organização Mundial da Saúde, a OMS, cerca de 121 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão. Além disso, a Organização projeta que, em 2030, a depressão será o mal mais prevalente do planeta à frente do câncer.