SDI esclarece dados de empregabilidade em Bagé

Fotos: Paulo Batista

Na manhã desta quinta-feira (16), o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Bayard Paschoa Pereira, recebeu os jornais da cidade com o objetivo de esclarecer dados registrados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), recentemente, que atribuíam à Bagé um expressivo déficit empregatício nos primeiros meses do ano.

O titular da pasta explicou que entre janeiro de 2017 e março de 2019, o número de trabalhadores admitidos superou o de demitidos em 355 novos postos de trabalho. Em janeiro de 2019, constatou-se uma variação atípica no montante de demissões realizadas em Bagé. “Foram atribuídas ao município demissões na ordem de 304 trabalhadores ligados à área da educação, demissões efetivadas pela empresa Ação Sistemas de Saúde e Assistência Social que, em verdade, foram realizadas em Sant’Ana do Livramento e lançadas em Bagé. Tal constatação foi comprovada pela própria empresa e enviada pela SDI ao Ministério da Economia, através do Caged, para conhecimento e correção”, revelou.

Segundo Bayard, a identificação ocorreu pelo consultor do Ministério da Economia, Augusto Albuquerque que, em análise dos dados, chegou ao CNPJ da empresa que possui sede em Torres.

O secretário destaca que o expediente oficial para correção do dado já foi protocolado junto ao Ministério da Economia, órgão Caged. “Com o ajuste efetuado, Bagé passa, em vez de apresentar saldo negativo de menos 362 postos de trabalho em janeiro de 2019, registra a variação correta de 58 postos de trabalho negativos no período. Isto porque 304 demissões creditadas a Bagé, ocorreram efetivamente em Livramento. As demissões que ocorreram estavam ligados a professores, faxineiros, auxiliares de desenvolvimento infantil, técnicos em secretariado, vigilantes, cozinheiros gerais, auxiliares nos serviços de alimentação, coordenadores pedagógicos e professores de alunos com deficiência múltipla”, detalha.

Já em fevereiro, o saldo ajustado é de 25 postos a menos e não 26 como constava, também porque a empresa alocou em Bagé uma demissão que não foi realizada na cidade, mas em Sant’Ana do Livramento. Por fim, em março, o saldo final corrigido é de 103 vagas novas na cidade e não as 82 mostradas pelo Caged, depois de suprimir 21 demissões computadas erroneamente.

O titular da pasta afirma que os números oficiais demonstram que mesmo o país vivendo sérias dificuldades econômicas, Bagé apresentou no período analisado, indicadores acima da média brasileira. “Nutrir esse ecossistema favorável aos empreendedores locais, foi o que fizemos com políticas públicas assertivas, por exemplo, ao barrarmos a concorrência desleal das feiras itinerantes e posteriormente criando o Programa Sábados Azuis”, destacou.

Bayard também comentou sobre a concepção do programa denominado Empreende Bagé, que estimulou a reforma e ampliação de diversos empreendimentos nos últimos dois anos, além de realizar a atração de mais de 30 novos investidores para o município. “Entre outras iniciativas, tivemos também o aquecimento da construção civil com empregos gerados direta e indiretamente. Só em residências populares foram 1.164 novas, obtidas por Bagé junto ao Governo Federal através do Programa Minha Casa, Minha vida. Tudo isso pesa no dinamismo da economia da região e no volume de postos de trabalho”, frisou o titular da SDI.