Novas agendas do prefeito Divaldo em Brasília buscam desenvolvimento de Bagé

Foto:Divulgação

A comitiva bageense liderada pelo prefeito Divaldo Lara segue com diversas agendas na Capital Federal, com o objetivo do desenvolvimento da Rainha da Fronteira em importantes áreas. As agendas mais recentes ocorreram na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), onde trataram do retorno dos voos comerciais e liberação do aterro sanitário, respectivamente.

Voos comerciais

Com o deputado federal Pedro Westphalen, o grupo visitou a Anac, onde mais um passo foi dado para a certificação do Aeroporto Internacional de Bagé Comandante Gustavo Kraemer. Esta é a última etapa para que a Azul e a Two Flex possam atuar em voos regulares entre a Rainha da Fronteira e Porto Alegre.

Depoimento do deputado

Westphalen elogiou o trabalho realizado pelo Governo Municipal desde o começo da gestão: “o que começa de maneira correta dá certo. A organização do prefeito Divaldo e toda equipe provou o potencial da região, conseguindo atrair as empresas e buscar o encurtamento do tempo para se percorrer as distâncias. Anac ficou impressionado com a movimentação promovida por Bagé”, destacou o deputado.

Aterro sanitário

No Cenipa, a comitiva foi recebida por Joselito Paulo, tenente Weber Galvão Novaes e coronel Valter Barreto Silva. A pauta foi o processo de análise do órgão para liberar o aterro.

O processo enviado por Bagé está em análise e deve ser liberado e certificado em até três semanas. Na ocasião, foi relatado que o Cenipa está muito bem instruído pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e Proteção ao Bioma Pampa (Semapa) e abriu um canal de comunicação direta com o órgão para dar maior celeridade à solução.

A prefeitura relembra que atualmente gasta mais de R$ 400 mil reais realizando o transporte dos resíduos sólidos, tendo em vista que esta gestão recebeu o aterro interditado e com um passivo de multas, que ao longo de dois anos foram sendo negociadas. Em 2017, a multa citada impactava em Bagé, pois a cidade era inscrita pelo Estado no Cadin e por diversas vezes deixou de receber repasse e recursos (transferências voluntárias) em função deste passivo junto à Fepam.

“Neste período, olhamos para a frente, nos organizamos e fizemos um trabalho preventivo e com muita eficiência, onde além de buscar o selamento da 5ª célula, trabalhamos para viabilizar a abertura de uma nova célula e chegamos agora na fase final para habilitá-la junto à Fepam e podermos reiniciar a operação do aterro, que estava interditado antes da nossa gestão”, declarou o chefe do executivo.

Com esta 6ª célula, que é negativa, o que significa dizer que ela é escavada abaixo do nível do solo, e que irá medir 10 mil metros quadrados, o município contará com um espaço adequado para depositar os resíduos que hoje vão para Candiota e, com isso, trará uma economia aos cofres público do valor de R$ 400 mil reais mensais. O local terá uma vida útil de aproximadamente dez anos, trazendo uma economia total de R$ 50 milhões.

“Nossa gestão, além de olhar para o momento atual e projetar o futuro, tem ainda que gastar muita energia nas heranças que as gestões passadas nos deixaram, algumas que nos colocaram em situações delicadas que inviabilizariam o governo, se não tivéssemos competência e transparência suficientes para buscarmos soluções. Dedicamos esforços para atender os projetos mais importantes e buscar saídas para resolver os problemas e resgatar os projetos parados do passado”, falou o prefeito.

Acompanham Divaldo, o presidente da Câmara de Vereadores, Esquerda Carneiro; o vereador Graziane Lara e o coordenador de Captação de Recursos, Márcio Pestana.