Cônsul uruguaio avalia com entusiasmo parceria com a gestão atual em prol da Serrilhada

Foto: Paulo Batista

Em tratativa com o governo uruguaio, o município de Bagé, disponibiliza há 23 anos energia elétrica para a Serrilhada, no lado vizinho. Esta parceria que teve bons resultados oportunizou a realização de um novo acordo, disponibilizando água da parte uruguaia para a brasileira.

A primeira reunião ocorreu no início de 2017, com o objetivo de sanar um problema antigo dos moradores da localidade. Em maio do mesmo ano, os governos assinaram uma carta de intenção, que garantia que ambos os lados realizariam os trâmites legais para que o Uruguai cedesse água.

As tratativas que não cessaram, produziram novos resultados. Segundo o vice-prefeito, Manoel Machado, o governo municipal foi procurado por José Oliveira, da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, e Milton Filho, representante do Ministério das Relações Exteriores no Rio Grande do Sul, para fazer um tratado para regularizar esta questão tão antiga para os moradores.

Machado, em reunião com os demais representes, salientou que, além do tratado, a expectativa é construir um poço artesiano do lado brasileiro, assim quando faltar água no lado uruguaio, o brasileiro tem esse respaldo.

Conforme Oliveira está sendo levado para a administração estadual um plano de trabalho já assinado pelo prefeito de Bagé, Divaldo Lara. A expectativa é que o trabalho tenha início até o começo de 2019.

Conforme o cônsul uruguaio, Mario Liori, pela primeira vez na história, existe esta cooperação entre o Uruguai e Brasil. “Valorizamos muito esta parceria, isso nos permite ter uma boa relação com a fronteira”, diz.

Segundo Liori, há muitos anos o Brasil cede a eletricidade para o lado uruguaio e agora existe a possibilidade de recompensar o apoio aos vizinhos. “Todo esse serviço se dá por meio da dedicação dos atuais governantes. Estou feliz em poder trabalhar e avaliar estes resultados”, conclui.