Prefeito de Bagé busca aporte para construção do Parque Tecnológico do Pampa

Cumprindo agenda na capital federal, o prefeito municipal, Divaldo Lara, realizou junto ao Ministério de Ciências, Tecnologia, Inovação e Comunicação, uma audiência buscando aporte para a inclusão do projeto de construção do Parque Tecnológico do Pampa, no orçamento que será discutido em agosto na cidade de Gramado.
O projeto orçado em R$ 3 milhões para a elaboração da primeira etapa, contempla a construção de salas, onde devem ser realizadas pesquisas. Segundo o professor universitário, Ivonir Petrarca, coordenador do projeto, que na oportunidade representou a Unipampa, dos 10 espaços contemplados no projeto, oito salas já possuem termo de intenção assinado pelas empresas. “A construção do Parque do Pampa traz visibilidade e desenvolvimento para a nossa cidade. Estamos confiantes que com o apoio do governo municipal na busca desse aporte, a concretização do projeto está cada dia mais próxima”, afirma.
Para o prefeito, Divaldo Lara, a luta pela construção do Parque Tecnológico visa desenvolver e potencializar as matrizes do município. “O projeto, além de potencializar a produção local como: agricultura e pecuária, conquista o que de mais importante temos em nossa terra, a união, onde os estudantes terão seu potencial retido pelas empresas instaladas no município e não mais precisarão buscar em outras cidades esta oportunidade”, comenta.
 Estiveram presentes na reunião além do representante da Unipampa, representante do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Sul-rio-grandense (Ifsul), André Moura, o coordenador dos Parques Tecnológicos do Ministério, Silvério Pereira, representando a Senadora Ana Amélia Lemos, Deolin Chagas e o secretário de inovação do Ministério, Maximiliano Martinhão.
A Senadora Ana Amélia, que acompanha o prefeito nas agendas em Brasilia comenta ainda: “meu gabinete continua à disposição para atender as demandas de Bagé, especialmente a criação do Parque Tecnológico, que beneficiará toda a região. Tratarei o assunto junto à Bancada Gaúcha no Congresso Nacional para avaliar disponibilidade de recursos através de emendas”.