Obra da Barragem da Arvorezinha avança 3 etapas sob nova administração, em 1 ano 

O trabalho visa resolver problema histórico de disponibilidade de água e sucessivos períodos de racionamento no Município de Bagé.
Após passar por um processo de embargo de 2013 até 2016, o  obra da Barragem da Arvorezinha, aguardada há anos pela comunidade bageense, avançou três etapas desde o início de 2017, quando a nova gestão assumiu a administração do Governo Municipal.  O novo reservatório prevê uma capacidade de armazenamento de 18 milhões de m³.
A obra foi iniciada ainda no ano de 2011, sendo que em junho de 2013 a construção da barragem foi interrompida em decorrência da Operação Paralelo 31-S, deflagrada pela Polícia Federal, que denunciou empresas que atuavam no empreendimento por suspeita de irregularidades. O relatório da perícia realizada pela Polícia Federal, após o embargo da obra e várias demandas judiciais, apontou para a necessidade de uma perícia técnica e um estudo minucioso de todos os serviços realizados até aquela data.
Em 12 de janeiro de 2017, já com novo governo, a Prefeitura, através de seu Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé (DAEB), entrou em contato com a Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec) e o CREA para fazer o estudo técnico científico, avaliar a construção parcial e verificar os materiais e serviços executados até o momento do embargo e se os mesmos estariam de acordo com as especificações de projeto, visando subsidiar o DAEB quanto à continuidade das obras do barramento. A área objeto de estudo abrangeu 4.095,53 km² e o laudo foi entregue no mês de setembro.
Revisão do Projeto Executivo
A segunda etapa iniciou em novembro de 2017, com a assinatura do contrato para realizar a revisão do Projeto Executivo das obras de construção da Barragem da Arvorezinha. O trabalho, que está em andamento, deve ser concluído e entregue ao Daeb no primeiro semestre de 2018.
O Prefeito Divaldo Lara explica que a etapa visa redimensionar o projeto, com base nos recursos ainda disponíveis, corrigir falhas no projeto anterior e avaliar os custos.  O chefe do Executivo ainda destacou que todas as ações realizadas pelo governo neste ano em relação à retomada da barragem foram executadas, em algumas etapas com parcerias, sem custo para o município, assim como em outras, com recursos próprios do Daeb, citando o valor investido na revisão do projeto: R$ 430.000,00.
O diretor geral do Daeb Volmir Silveira relatou que esta foi uma fase bastante trabalhosa. “Tínhamos que fazer tudo com a maior transparência e cautela possível, por se tratar de uma obra tão aguardada pelos bageenses e que já sofreu inúmeras interrupções, inclusive passando pelo embargo, em governos passados”, explicou.
Revisão do Plano Básico Ambiental
Na primeira semana de 2018, o Daeb firmou contrato com a empresa especializada que irá realizar a revisão do Plano Básico Ambiental (PBA) da Barragem Arvorezinha. A DW Engenharia Ltda, que venceu o processo licitatório, também executará a revisão dos estudos arqueológicos realizados, para obtenção da Licença Ambiental de Instalação e da autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. A DW Engenharia Ltda, com sede em Porto Alegre, terá 60 dias para concluir o serviço. A equipe que iniciará o trabalho, composta por cerca de seis profissionais, já está na cidade. O valor do contrato é de R$ 84.000,00.
O Prefeito Divaldo Lara informa que a meta é iniciar a execução da obra no primeiro semestre de 2018, após a conclusão das duas etapas em andamento.
“Queremos entregar essa obra aguardada há mais de 30 anos pelos bageenses, que se faz tão necessária pela expansão da cidade, pela  quantidade de novos núcleos habitacionais construídos e o crescimento da população ao longo de tantos anos. Este empreendimento tem sido tratado como prioridade, desde os primeiros dias do nosso governo”, destacou.