Divaldo Lara reabre Restaurante Popular com economia anual de 350 mil reais

Prefeito pediu: “atendam aos usuários como se fosse alguém da minha família” 

O Restaurante Popular parou de servir almoço no início de janeiro. O motivo foi a falta de pagamento ao fornecedor de alimentos e aos funcionários, que tinham vínculo com a ONG Prociba, administradora do restaurante, e que encerrou as atividades no último dia do ano passado.
A reinauguração ocorreu ao meio-dia desta segunda-feira, 20 de fevereiro, com presença de vereadores, secretários, autoridades, o prefeito Divaldo Lara e o vice Manoel Machado.
Já no primeiro dia, foram cerca de 100 pessoas que utilizaram o serviço por apenas R$ 2,00. A supervisora do local, Mônica Vieira, informa que o cadastro deve ser realizado no setor de Bolsa Família da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso (SMASI), mesmo as pessoas que já utilizavam o restaurante anteriormente. A prioridade é para homens e mulheres acima de 60 anos. Além disso, quem for encaminhado pela rede de saúde ou assistência social, como os CRAS, por exemplo, e do albergue municipal, tem preferência, embora ninguém corra o risco, como afirmou o prefeito Divaldo, de ficar sem comer.
O secretário Esquerda Carneiro falou da importância da reabertura: “Muitas dessas pessoas têm no Restaurante Popular a única refeição do dia. Conseguimos resolver os problemas deixados e, com economia de Ccs e locação de imóveis, foi possível retomar o local”, contou.
O nutricionista responsável pelo alimento servido, Francisco Portella, relata as características do prato: “O padrão servido é de uma comida com vitaminas balanceadas, para uma pessoa com média de 40 anos, sendo que homens com cerca de 70 kg e mulheres 60kg. Serão 600 k/cal distribuídos entre 600g de alimento”, explicou.
Utilizando o serviço há cerca de dois anos, o aposentado Custódio Hidalgo Filho, morador do bairro Arvorezinha, disse porque vai até o Restaurante Popular: “Com o valor que gasto aqui, jamais poderia comer algo de qualidade, apenas porcarias na rua. Já comi hoje e percebi a melhora no sabor, vou continuar vindo”, sorriu.
Garantindo estar orgulhoso com o trabalho desenvolvido pela Smasi, o prefeito Divaldo Lara falou da retomada do espaço: “Antes, cada prato tinha preço de custo de 17 reais, agora, na nossa administração, o valor de 7,50 reais, gerando uma economia de quase dez reais por prato. Continuaremos assim, com honestidade e qualidade para quem mais precisa”. Concluindo o discurso, Divaldo disse: “Quero que os funcionários tratem os usuários do restaurante como se fossem alguém da minha família.”
No final do evento, o prefeito almoçou no prédio e experimentou o cardápio do dia.

Confira a economia gerada com o novo restaurante – com uma média de 150 pratos dia:
Preço de custo:
Antes: R$ 17,00
Agora: R$ 7,30
Por dia:
Antes: R$ 2.550,00
Agora: R$ 1.095,00
Por semana:
Antes: R$ 12.750,00
Agora: R$ 5.475,00
Por mês:
Antes: R$ 51.000,00
Agora: R$ 21.900,00

Até o ano passado, a Prefeitura gastava R$ 612 mil no Restaurante Popular. Agora, com mais qualidade, melhor atendimento, serve almoço diário com uma economia anual de R$ 349.200,00.